ASSEMBLÉIA GERAL DE ORDINÁRIA – CVLAS – 15/07/2017

00f48935-4b31-4655-b5db-a889d72c32dd

ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL DE ORDINÁRIA
Ao decimo quinto dia do mês de julho do ano de 2017, em primeira chamada às 8h30 e segunda chamada às 9h00, reuniram-se, em Assembléia Geral, no auditório do Paladium Hotel em Serra Negra os associados do Clube de Voo Livre Alto da Serra, constantes na lista de presença anexa. Presidiram os trabalhos Rodrigo Brunhara auxiliado por Renato Bernardo e Paulo Sérgio Botelho Candreva e para secretariar Ricardo Augusto Chiessi. Em seguida, o Presidente declarou abertos os trabalhos e apresentou a pauta de reunião, contendo os seguintes assuntos:
1 – Prestação de Contas do Período de 15/07/2015 a 15/07/2017;
2 – Voo Duplo;
3 – Pouso na Rampa;
4 – Andamento Concessão;
5 – Andamento Banheiro;
6 – Proposta de Compra de uma Roçadeira;
7 – Eleição do Presidente, Vice-Presidente e Diretor Tesoureiro, bem como membros do Conselho fiscal do Clube de Voo Livre Alto da Serra para o Período de 15/07/2017 a 15/07/2019;

Em seguida, o presidente Rodrigo explicou a formação da chapa e sobre a importância do engajamento de todos nos trabalhos referentes ao clube. Como havia mais interessados e apenas três vagas para o conselho, foi aberta votação e por aclamação e unanimidade foi decidido que as vagas para o conselho deveriam ser aumentadas para cinco. Em seguida foi apresentada a uma chapa completa, constando nela: Rodrigo Brunhara (presidente); Kapipa (vice); Jamil (tesoureiro); Robson Mendes (diretor técnico); Roma (diretor social); Renato Bernardo (presidente do conselho); Ricardo Augusto Chiessi, Clarisvaldo Borges, Fellipe Souza e Paulo Sérgio Botelho Candreva (conselheiros). Foi colocado aos presentes se havia alguma outra chapa formada disposta a disputar as eleições e não se apresentaram nenhuma chapa interessada. Deu-se início a votação e por unanimidade foi eleita a chapa acima citada para a gestão do Clube de Voo Livre Alto da Serra no biênio 2017/2019. Em seguida nova diretoria tomou posse para dar prosseguimento a reunião. Robson Mendes pediu que fosse inserido na pauta o debate sobre a questão do “gestor CBVL”, que é um representante que faz o intermédio da Confederação com o Clube. Por aclamação Robson Jean foi incumbido dessa tarefa pelo prazo de um ano a contar dessa data. Na sequência o presidente explanou sobre a atual situação do nosso pedido de autorização / concessão do alto da serra para o clube e informou que o processo está adiantado e que nos próximos dias devemos ter alguma notícia da prefeitura sobre o assunto. O presidente também esclareceu sobre o andamento e as formas que poderão ocorrer a construção do banheiro e sala de apoio, tão logo a autorização / concessão seja conseguida. Em seguida foi proposta a compra de uma maquina roçadeira para manutenção da rampa, porém após debate ficou decidido pela maioria que a atual gestão precisa fazer um estudo de viabilidade econômica para constatar se comparar a roçadeira é mais viável que contratar um serviço terceirizado, haja visto que mesmo com o equipamento será preciso contratar alguém para operar a máquina. Foi dado o prazo de um mês para essa decisão. O presidente eleito aproveitou a oportunidade para deixar registrado que pretende intensificar a fiscalização na rampa de acordo com as regras do estatuto e que as punições serão colocadas em prática. Foi reforçado que o mais breve possível serão colocadas bandeiras verde e vermelha na rampa, que determinarão a possibilidade de pouso ou não na rampa. Ficou decidido que a diretoria e pilotos presentes na montanha determinarão a colocação das bandeiras e a permissão do pouso, sendo observada sempre a questão da segurança ao piloto e aos visitantes presentes. Sobre o voo duplo foi revogada a norma aprovada em reunião anterior e ficou decidido que uma comissão formada por Robson Mendes (diretor técnico e gestor ABP), Robson Jean (gestor CBVL) e Cleber Ramalho deverá apresentar em trinta dias uma proposta de norma regulamentar sobre os voos duplos no Alto da Serra. Entre os requisitos deverão ser observados a habilitação, preenchimento de termo de responsabilidade e laudo anual do equipamento. Foi sugerido por Marco Correa e Rafael Lima que o voo duplo comercial como é feito atualmente fosse revogado e desvinculado ao clube, proposta que foi aceita pela maioria e, portanto tomou-se a medida de que durante os trinta dias em que não se tenha e se publique a norma reguladora, somente poderá voar duplo comercial o piloto filiado ao CVLAS, que tenha habilitação para esse tipo de voo. Sendo assim somente Robson Mendes pode exercer essa prática, dentro dos rigores previstos até a publicação da norma. Foi aprovado que deve haver um livro de ocorrências na rampa onde devem ser relatados os acontecimentos pertinentes, seguido de assinatura do responsável e testemunhas. Fatos que também serão publicados no website do clube. Também foi apresentada a prestação de contas da gestão anterior, aprovada pelo conselho, para todos os membros presentes. Tendo se exaurido os assuntos pautados o presidente agradeceu pela participação de todos os presentes e deu por encerrada a reunião, da qual eu, Ricardo Augusto Chiessi, secretário ad boc reunião, lavrei a presente ata, firmada por todos os presentes anexo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *